sábado

O Natal de Takemoto


Autor:Kotomi

Titulo: O Natal de Takemoto

Anime: Honey and Clover

Genero: Romance

P.s: Contem Spoilers da série


Natal...

Eu não gosto do Natal... Essas luzes brilhantes e enfeites por todos os lados parecem me fazer perguntas como “Você está feliz?” ou “Você já é bom o suficiente?”... Eu não gosto do Natal...

Esse ano ela não está aqui... E eu não quis ir para minha cidade Natal... Eu apenas voltei para Tokio sem motivo nenhum, eu não sei o que estou buscando aqui, ou se tem alguma coisa que eu queria ver aqui... Meus companheiros de trabalho, cada um foi para um lugar diferente, para suas famílias, para passar um feriado comemorando... Eu sinto certa inveja...

No final depois de tanto andar eu acabei nessa praça, sentado em um banco vendo casais irem e virem, é estranho como um feriado tem diferentes significados para países diferentes... Aqui é como um dia feito para namorados saírem, ou para presentear a família, apenas um feriado de amor talvez...

Por quê? Por que motivo eu estou chorando?... Eu odeio... Eu odeio o Natal... Lembro deles... Meus amigos... Lembro dela... Hagu-chan... Pensando nisso, meu coração dói, é como se fossem tudo apenas fotos que meu coração tirou, daqueles momentos tão preciosos... Ainda amo ela... Mas ela decidiu ficar com ele... Hanamoto-sensei... Espero que eles estejam muito felizes... Eu não deveria sentir inveja ou ciúmes certo?... Mas eu não consigo não sentir... No final sou só um humano idiota, machucado e apaixonado...

- Takemoto-kun?

Essa voz, meu coração está latejando de dor... Será que é ela? Essa voz vinda atrás de mim.

- Hagu-chan? – eu disse baixo e surpreso, levantando rapidamente do banco. Viro-me para olhar... Uma garota de cabelos castanhos escuros da altura dos ombros, olhos vivos e bochechas rosadas... A minha frente uma garota que não é a Hagu-chan... Quem é?... E me conhece?

- Ah é você mesmo Takemoto-kun – eu observei bem enquanto ela falava, era uma garota de beleza comum, ela usava um pesado casaco vermelho, de saia e meias que iam até a altura da coxa e listradas entre a cor azul claro e branca, um allstar azul marinho e um longo e grande cachecol branco enrolado no pescoço, junto de um gorro branco na cabeça, tudo por causa do frio do inverno japonês. Senti minhas mãos tremerem um pouco mesmo por dentro das luvas que eu usava, talvez esse mesmo frio esteja me afetando um pouco.

- Quem é você? – eu perguntei enquanto ela se aproximava com um simples e cativante sorriso, como se estivesse verdadeiramente alegre por me encontrar, não que eu posso dizer que também estou alegre, eu não sei quem é essa pessoa.

- A... Possivelmente você não se lembra de mim – ela disse levemente encabulada a me olhar, com uma vergonha inexistente, talvez se fosse outro dia me lembraria de quem é, vasculharia na minha mente quem era aquela garota a minha frente, se fosse outro dia é claro, por não ser eu não posso fazer isso, as únicas coisas que vem a minha mente é a lembrança dos natais que passei no hospital enquanto minha mãe, a uma dedicada enfermeira, passava a noite de plantão – Eu sou Fujiura Yumiko – ela disse estendendo a mão gentilmente para que eu apertasse – trabalhamos juntos em um Templo em Shinjuku, eu era uma das restauradoras, nós entregamos as estatuas para vocês em um dos dias do trabalho – ela disse sorridente – eu me lembro de você pelo ótimo almoço que você preparou – tão cheia de energia e espontânea, aquela garota era totalmente diferente da Hagu, mas esse jeito estranho e inqueito,é como se conseguisse me acalmar um pouco...

- Me desculpe, mas eu não lembro – eu disse olhando para o lado, meu sorriso era falso e talvez meu desanimo de agora esteja transbordando da minha alma – Eu não estou em um bom dia então vou indo – eu não encarei a garota gentil a minha frente enquanto eu levantava, eu não estou afim de encarar ninguém, por isso eu vou correr... Correr e fugir desse dia de natal horrível...

- Arfff...Arfff – eu estava cansado, fadigado, acabado em um banco do lado de uma maquina de refresco perto de um dos centros comerciais de perto da praça que eu estava, um lugar aonde varias pessoas ainda passiavam e aproveitavam aquela noite de natal, eu queria fugir para um lugar aonde esses sentimentos felizes das pessoas e esses enfeites idiotas e brilhantes não me seguissem, mas eu não morava mais em Tokio, eu não queria ir ainda para a casa da minha mãe, mas eu não tenho nenhum lugar para poder fugir...

- Espere Takemoto! – eu apenas acompanhei com os olhos uma pessoa e essa parou na minha frente, era aquela garota... Fujiura-san... Estava arfando como eu, cansada como eu, em sua face avia suor e estava vermelha de tanto correr – Não fuja... De mim... Por favor – ela disse ainda ofegante.

- Desculpe, mas eu... Não fugi de você Fujiu...

- Yumi-chan! – ela disse me interrompendo – Me chame de Yumi-chan – aquela garota apenas sorria e eu só tive um desejo naquele momento... Eu quero fugir dela... Por que ela me passa a mesma sensação que o Natal... – Não fuja do natal Takemoto-kun – eu fechei os olhos, eu não quero ouvir isso de um desconhecido...

- Por quê? – eu apenas indaguei quando abri os olhos novamente após alguns segundos e ela estava a minha frente segurando duas latinhas de chá quente.

- Por que o natal é um dia que fala “Você esta feliz? Não, então venha eu vou te dar motivos para você ficar feliz!” - a risada dela era gostosa e gentil.

- Por que você acha isso? – eu apenas peguei o chá e abri tomando aquele líquido quente e aquecedor, eu devo parecer um pouco indiferente, mas estou assustado, por alguém ler meus pensamentos... Tão fácil como se fossem transparentes...

- Fácil, porque eu estou esperando os motivos dele para me deixar feliz – ela olhava para frente e eu senti um estalo dentro de mim... É a segunda vez que me sinto assim na minha vida, uma doce sensação quente dentro de mim... Será?...De novo... Mas eu mal me recuperei do meu ultimo tombo... Ainda não esqueci a Hagumi...

- Ah... – eu apenas olhei para frente – E que tipo de coisa você espera?

- Pode ser qual quer coisa, pode ser uma visita inesperada de alguém da minha família, um garoto vir se declarar, eu ganhar um grande presente, ou até mesmo meus amigos fazerem uma festa surpresa de natal em minha casa – ela ria graciosamente, como se acreditasse naquelas palavras, como se tudo fosse se realizar pelos simples fato dela desejar aquilo. Ah... Eu invejo um pouco ela... – Olhe, uma coisa boa já aconteceu – ela sorriu me olhando – Encontrei Takemoto-kun vagando no meio do Natal como eu – seu tom era gentil, eu não sabia o que fazer, senti as minhas mãos tremerem... Como sou idiota me apaixonei por uma estranha.

- E isso é bom? – eu sorri um pouco.

- Não sei, acho que sim certo? Você até me fez correr para que eu alcançasse você, normalmente as pessoas não me fazem correr assim – ela ria gentilmente e logo tomava todo o chá em suas mãos pequenas e que estavam um pouco roxas.

- Não é bom ficar sem usar luvas – eu a fiz olhar para mim e logo sorrir com o comentário, como se fosse algo engraçado.

- Está tudo bem. A lata está quentinha – ela jogou fora depois de dizer aquilo – e seu pescoço não devia estar descoberto, você pode pegar uma pneumonia assim! – ela parecia preocupada e meio brava, mas gentil ao mesmo tempo, um leve ar de uma mãe talvez.

Conversamos e conversamos... Senti como se os brilhos de natal envolvesse agente, e nos aquecesse, eu... Estou feliz... Bobamente e idiotamente feliz... Eu odeio essa data idiota... Ela continua ter no ar a pergunta “Você está feliz?”... Mas dessa vez, só dessa vez... “Obrigada Natal... Eu estou feliz...”.

- Takemoto-kun eu preciso ir certo? – ela disse olhando para um grande relógio situado na esquina da quadra que estávamos, já era 23h40min, passamos umas 3 horas conversando sem perceber – Eu tenho de pegar o ultimo trem e ir para a casa dos meus pais – ela disse mostrando no celular uma mensagem “Venha para casa passar o natal yumiko-chan” do remetente que era sua mãe, ela pegou o cachecol dela e tirou – No natal devemos presentear as pessoas certo? – envolvendo meu pescoço com o cachecol ela apenas sorriu gentilmente – É meio feio, está desfiando um pouco, e tem algumas manchas de suco, mas eu fiz ele a uns anos e vai te proteger do frio.

- Ah... Obrigado, Yumi-chan – eu disse tirando minhas luvas e pegando a mão dela e colocando encima – Considere isso como um presente em troca do cachecol para você – me senti dando um sorriso verdadeiro e sincero, a vi corar por um instante e por as luvas rapidamente, e se distanciar alguns passos em direção a estação do metro.

- Ei, Takemoto-kun! – ela disse ao se virar em minha direção – não quer passar o natal comigo e com minha família?...Claro se não tiver onde passar já... – ela parecia um tanto inquieta e nervosa por falar aquilo – Ah o que estou dizendo você não vai querer passar o natal com uma pessoa...

- Claro! – sorri gentilmente e andei até a direção daquela garota. Eu estou feliz.

- ...Que você mau conhece como eu... – finalmente Yumi-chan completou a frase que estava falando quando eu respondi, ela corou um pouco e logo olhou para o relógio – então vamos logo ou vamos perder o ultimo trem! – ela disse começando a correr e eu ao lado dela correndo, indo para a estação de metro...

“Você está feliz? Eu, esse dia de Natal, estou te perguntando. Se caso não, acredite, eu lhe darei motivos para estar alegre hoje! Para que você tenha, um Feliz Natal!”

4 Comentários :3 on "O Natal de Takemoto"

Nana-chan disse...

Tão perfooo *-*
chorei :') kkkk

Lien Da on 2 de abr de 2010 11:28:00 disse...

Nyahh ! que lindo *-*
amei :3

HT_Re on 3 de jul de 2011 19:55:00 disse...

Mto legal^^ e adoro o anime, fanfic linda *-*

Akira Kaori on 4 de jul de 2011 16:05:00 disse...

ameeiiii <3
sou fan de fics embora eu escreva ruim pra pakas mais ameeiiiiii *---*

Postar um comentário